Pérolas desconhecidas do Super Nintendo

Aqui é o lar da nostalgia! Relembre seus clássicos favoritos e exiba sua coleção para todos do Fórum!
Índice do fórum Videogames Retro Blast
    • + 0

Pérolas desconhecidas do Super Nintendo

Mensagempor Sonymaster » Sáb, 06 Abr 2019, 20:33

Depois do nosso Top 10 – Pérolas desconhecidas do Mega Drive, chegou a vez de listar também alguns clássicos que ficaram meio esquecidinhos no console rival, o Super Nintendo.

Imagem


A biblioteca do SNES contou com centenas de jogos lançados, sendo pelo menos 100 deles facilmente ranqueados como bons ou ótimos, mesmo que nem todos sejam tão conhecidos assim.

[B]0. Saturday Night Slam Masters[/B]

Originalmente lançado pela Capcom para as máquinas CPS-1, esse excelente jogo de wrestling recebeu ports competentes para os consoles caseiros. A versão de Super Nintendo chegou primeiro, mantendo boa parte dos elementos originais, inclusive as ilustrações de Tetsuo Hara, famoso pelo mangá Hokuto no Ken.

Imagem


A jogabilidade está centralizada em três botões de ação: agarrão, golpe e pulo. Além disso, cada personagem possui dois tipos de ataques especiais diferentes.

Imagem


Vale como curiosidade: Mike Haggar, de Final Fight, é um dos personagens selecionáveis do jogo.

[B]9. Phalanx: Project Climax[/B]

Um excelente shmup, mas que ficou marcado por ter a pior capa de jogo de todos os tempos. Lembra do velho com um banjo? Pois é, esse é Phalanx.

Imagem


Injustiças a parte, esse jogo vale muito a pena porque tem gráficos e efeitos visuais bem legais, além de uma jogabilidade bacana.

O Super Nintendo recebeu uma enxurrada de bons jogos do gênero, mas se você já está de saco cheio de jogar R-Type III e Gradius III, essa pode ser uma excelente opção de fuga.

Imagem


Phalanx também foi lançado como um jogo secreto dentro do game Zero Divide, um jogo de luta de PlayStation 1. Para acessá-lo, no primeiro load você deve segurar start e select com o controle 2.

[B]8. Super Smash T.V.[/B]

Eis aqui um jogo bastante curioso. Em um futurístico ano de 1999 (na época do lançamento, esse era o futuro), você está dentro de um programa de TV focado na sobrevivência do mais forte. E vale tudo!

Imagem


Você se desloca de sala em sala, com visão de cima pra baixo, metendo bala em dezenas de inimigos que chegam pelos quatro cantos em hordas. Conforme os inimigos são derrotados, você vai coletando recompensas e dinheiro para ampliar sua pontuação, além de poder conseguir novas armas para ajudar na matança.

Imagem


Já vá se preparando: esse jogo é bastante difícil, mesmo com dois jogadores! Vale o desafio!

[B]7. Blackthorne[/B]

Antes de fazer sucesso com franquias como Warcraft e Starcraft a Blizzard se aventurava com jogos de ação para consoles caseiros. Blackthorne é a prova disso.

Imagem


Lançado inicialmente para PC, SNES e 32X, Blackthorne é um jogo de plataforma e tiro em ambientes bastante sombrios.

Você está no controle de Kyle Blackthorne e deve salvar o planeta Tuul da raça dos Ka’dra’suul, um povo monstruoso e opressor. Trama maluca, nomes idem, bem nos moldes da Blizzard mesmo.

Imagem


Se você ainda não jogou, fica a dica: Blackthorne está disponível gratuitamente para download na [url='https://us.battle.net/account/download/']Battle.net[/url]. Sua chance de conhecer esse clássico!

[B]6. Cybernator[/B]

Se você curte jogos no estilo Contra, vai se dar bem com Cybernator (Assaults Suits Valken, no Japão). Diga-se de passagem, ambos foram publicados pela Konami, o que já impõe algum respeito.

Imagem


A diferença entre os dois títulos run and gun está na progressão mais lentinha de Cybernator, que se justifica pelo fato de você estar no controle de uma armadura robótica super robusta.

Além disso, as fases são menos lineares e mais focadas em diferentes níveis de ação, exigindo mais saltos e menos correria.

Imagem


O jogo se destaca pelos gráficos acima da média, e pela trilha sonora fantástica, assinada por Masanao Akahori (mesmo compositor das músicas de Nosferatu, outro clássico de SNES).

O jogo recebeu um remake para PlayStation 2, lançado em 2004.

[B]5. Phantom 2040[/B]

Um jogo do Fantasma! Sim, esse é baseado no desenho Fantasma 2040, lançado originalmente em 1994 e nunca exibido por aqui. Se você for um pouquinho mais velho (talvez na casa dos 30 ou 40 anos?), talvez tenha pego inclusive a época em que os gibis do personagem eram lançados pela editora Ebal aqui no Brasil!

Imagem


Mas e o jogo, é bom? Sim, muito. Estamos falando de um excelente jogo de ação em 2D, com um quê de metroidvania e caminhos diversos para concluir as suas missões, resultando em um impressionante número de finais diferentes (quase 20? 20?).

Imagem

[B]4. DoReMi Fantasy[/B]
[B][/B]

Lançado pela Hudson em 1996, DoReMi Fantasy não foi lançado no ocidente e ficou restrito apenas ao público japonês. Pelo menos até 2008, quando foi portado para o Virtual Console do Wii.

Imagem


Um excelente jogo de plataforma, bem no estilo de Super Mario World, mas com gráficos mais próximos dos de Kirby, talvez.

Milon no Dokidoki Daibouken (nome pelo qual é conhecido no Japão) é uma continuação direta de um jogo de NES: Milon’s Secret Castle. Mas as semelhanças acabam por aí, já que os dois jogos são bastante diferentes no aspecto visual e sonoro.

Imagem


DoReMi Fantasy é focado na busca por instrumentos musicais (daí as notas musicais no título) mágicos, inclusive com direito a coleta de notinhas espalhadas pelas fases.

Um jogo muito bonito, surpreendentemente cativante e divertido. Uma verdadeira pérola!

[B]3. Hagane[/B]

Jogos com ninjas eram muito populares nos anos 90. Por conta disso talvez, muita gente tenha visto Hagane na prateleira e pensado ser apenas mais um jogo sobre o tema. Contudo, a proposta de Hubsoft, desenvolvida em parceria com a Red, era a de um jogo com enredo mais maduro, com cinemáticas elegantes e desafio acima da média.

Imagem


Hagane é um jogo curto. Mas não se engane, chegar até o final será uma verdadeira "pedreira". O nível de dificuldade de algumas fases é absurdo, exigindo uma precisão milimétrica muito apreciada em jogos de plataforma hardcore.

Imagem


Uma curiosidade para quem comprou o título na época e depois vendeu baratinho: não olhe o preço dele atualmente. Hoje em dia, o game é cotado em torno de US$ 350 dólares no Ebay, quase mil reais na cotação atual.

[B]2. Space Megaforce[/B]

Mais um shmup na lista, dessa vez de progressão vertical.

Imagem


Space Megaforce (também conhecido no Japão como Super Aleste, nome certamente mais famoso) é um jogo de nave como tantos outros lançados para os consoles de 16 bits, mas com algumas soluções criativas no sistema de armas e vidas extras.

São ao todo oito tipos de armas disponíveis no jogo, que podem receber upgrades de nível, de 1 a 6. Esses upgrades acontecem através da coleta de diferentes tipos de chips ao longo das fases: os laranjas promovem um upgrade lento, com quantidades maiores sendo necessárias a cada novo nível. Já os verdes, mais raros, fazem você pular de level imediatamente.

Imagem


Quando sua nave é atingida por um disparo inimigo, em vez de morrer imediatamente, você perde quatro níveis. Esse número não pode chegar a zero, ou é morte certa. Mas se você estiver no level 5 ou 6, dá pra resistir a mais de uma pancada antes de perder a vida.

Criativo e bastante interessante!

[B]1. The Firemen[/B]

Que os videogames são um mundo mágico, disso ninguém tem dúvidas ou ousa questionar. Praticamente qualquer situação pode ser portada para as telinhas e, desde que bem feita, há uma grande chance de se tornar uma experiência divertida.

Imagem


The Firemen te põe no papel um bombeiro responsável por apagar um grande incêndio em um prédio, justamente na noite de Natal. Sua arma? Apenas uma mangueira de incêndio e um ajudante controlado pelo computador, dotado de um machado para abrir caminho entre os percursos.

Imagem


Apesar do jogo não ser dividido em fases, mas em missões contínuas, algumas delas são pontuadas por chefes, que vão desde grandes labaredas até robôs descontrolados.

The Firemen recebeu uma continuação para PlayStation em 1995, mas essa foi lançada apenas em território japonês.

Fonte: Jogo Véio
Sega x Nintendo
Jogador de Videogame das décadas de 1980 e 1990.
Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor Chazzy » Sáb, 06 Abr 2019, 21:50

Alguns jogos aí eu não sabia que eram desconhecidos.

Tipo o Phantom que rolava uma fita pirata lá na minha cidade de interior, geral conhecia o jogo.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Re:

Mensagempor Sonymaster » Sex, 12 Abr 2019, 20:17

Chazzy escreveu:Alguns jogos aí eu não sabia que eram desconhecidos.

Tipo o Phantom que rolava uma fita pirata lá na minha cidade de interior, geral conhecia o jogo.


Esse eu joguei no Mega Drive quando aluguei, achei mais ou menos.
Sega x Nintendo
Jogador de Videogame das décadas de 1980 e 1990.
Avatar do usuário

    • + 0

Re: Pérolas desconhecidas do Super Nintendo

Mensagempor NintendoPorraLoka » Seg, 09 Set 2019, 12:52

Mano desde quando blackthorne e desconhecido? geral que jogou o snes afundo,fala dessa poha de jogo ate hj,e dos seus magnificos graficos :P
Avatar do usuário


Voltar para Retro Blast

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes