Qual o ultimo jogo que você jogou/está jogando?

Discuta sobre outros consoles (PS, XB, PC, Mobile, etc).
    • + 0

Re: Re:

Mensagempor Mastxadows » Qui, 30 Abr 2020, 23:07

Arthimura escreveu:
Mastxadows escreveu:Jogando Streets of Rage 4, pqp que jogão meusa migos.
A nostalgia bate forte.


Zerei os três primeiros, gosto bastante da franquia. Acha que vale o preço da PSN (R$93,51)? Achei salgado pra pra um título como esse.

Inveja do Game Pass, deram o jogo no lançamento pelo que fiquei sabendo.

Eu to jogando no gamepass então não paguei os 90 e poucos reais, acho que uns 50 estaria de bom tamanho já que é um jogo curto, mas vou pegar numa promoçãozinha sim.

Edit:Terminei o Streets of Rage 4, é um jogo curto mas os anteriores também eram, joguei no normal e achei bem mais fácil que os antigos, sim eu morri um monte de vezes mas menos do que nos 1,2 e 3.
Não tenho nada a reclamar do jogo, é um Streets of Rage igual os antigos só com gráficos melhores, que é exatamente o que eu queria, joguei um pouco do coop online e foi uma boa pedida nesse game.

Acho que vou dar uma revisitada nos antigos pra ver se são tão difíceis quanto eu me lembro.
Minha equipe atual em Pokémon Ultra Sun
Imagem
Avatar do usuário

    • + 6

Mensagempor Crash10 » Sex, 01 Mai 2020, 19:55

Depois de jogar Sonic Forces eu acabei jogando vários jogos bem bons, acho que internamente estava me compensando por ter passado por ele.

Joguei Super Monkey Ball 2 de formas completamente legítimas com uns amigos usando o Parsec. Felizmente funcionou bem e a sessão multiplayer foi bem agradável, é um ótimo jogo pra multiplayer. Pra quem tem um PC e uma internet fortinha recomendo tentar isso com jogos que tem multiplayer local, a Steam inclusive tem essa função nativamente e só uma pessoa precisa ter o jogo. Obviamente Super Monkey Ball 2 não está na Steam, mas as regras do fórum não me permitem especificar os meios garantidamente legais e corretos que pude jogar ele.

Também joguei Shadow of the Colossus (remake do PS4) e me frustrei demais no início por ser completamente ruim no jogo. Felizmente fui pegando o jeito e quando acabou eu tinha me apaixonado. Belíssimo jogo.

Depois como um verdadeiro fã, fui me maltratar com Sonic Adventure 2 (versão da Steam). Tenho alguns problemas graves com o jogo mas no geral me agradei com ele, foi divertido e como era de se esperar a trilha sonora não deixou a desejar, o plot é meio trash mas me diverti com ele. O gameplay do Sonic/Shadow é obviamente o melhor mas também gostei do Tails/Eggman. Knuckles/Rouge foram os únicos que me desagradaram e é só pelo level design e o radar nerfado em relação ao primeiro Adventure, os controles em si são bem agradáveis num geral.

Também terminei The Last of Us Remastered e também adorei. Por ter vivido muito no âmbito Nintendista onde qualquer jogo com foco em história é visto com certo preconceito por uma parte do pessoal, fiquei chocado com o quão bom o gameplay é. Isso sem nem falar da história mesmo, que realmente me impressionou de todas as formas. A música e visuais também ficaram na minha cabeça. Super recomendo.

Também joguei Journey por ter sido dado de graça pela Sony e foi outra masterpiece ao meu ver. Super minimalista, não tenho como comentar muito, mas é um jogo que definitivamente causa um impacto em quem joga.

E por último hoje mesmo eu zerei o remake de PS4 do Ratchet & Clank. Como foi meu primeiro jogo da série, alguns dos problemas apontados pelos fãs (fadiga do gameplay e a história piorada) não me afetaram tanto. Achei super divertido, com diálogos até que engraçados, uma OST sólida e visuais lindos. É o tipo de jogo que me faz querer que mais empresas fora a Nintendo façam platformers 3D de alto orçamento.

Em meio a tudo isso eu continuo jogando Crash Team Racing: Nitro-Fueled e Tekken 7, que venho jogando continuamente desde o ano passado. CTR é tudo que eu podia querer do remake, e fora as microtransações atrapalharem o ritmo dos desbloqueáveis e o online inconsistente, eu não podia estar mais feliz com ele. Já Tekken é o meu primeiro contato com a série em um bom tempo (já que ela não teve lá muitos jogos na Nintendo) e me fez lembrar o quanto eu gosto dela sem nem lembrar. Adoro o elenco, o plot ridículo, a música barulhenta e os visuais semi-realistas mas estilizados. Comprei os dois primeiros Season Passes recentemente e apesar de mesmo em sale eu ter achado o preço meio salgado (103 por todas as DLCs menos o terceiro Pass), o conteúdo é muito bom. Meus únicos problemas são o quão curto o modo história é e o jogo não tem muita variedade de coisas pra fazer jogando sozinho. Fora isso, adorei.
Imagem
Por Pedrock

Userbars

Avatar do usuário

    • + 0

Re: Qual o ultimo jogo que você jogou/está jogando?

Mensagempor Hirga » Sex, 01 Mai 2020, 20:01

Estou jogando Starlink Battle for Atlas

Que jogo divertido. Pena que foi meio esquecido. A possibilidade de jogar com o Fox é muito legal.
Ainda darei minha opinião final depois de zerá-lo, mas com certeza valeu o investimento nele (peguei o Starter Pack, que vem com a AirWing, o Fox e mais uns acessórios).
Avatar do usuário

    • + 2

Re:

Mensagempor hayt » Sex, 01 Mai 2020, 22:06

Crash10 escreveu:Depois de jogar Sonic Forces eu acabei jogando vários jogos bem bons, acho que internamente estava me compensando por ter passado por ele.


Meus pêsames. Ainda bem que contornou com excelentes jogos como Shadow of the Colossus, The Last of Us Remastered, Journey e Ratchet & Clank.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 2

Mensagempor Arthimura » Sex, 01 Mai 2020, 22:52

Terminei o Final Fantasy VII Remake.

Que jogo, meus amigos. Realmente uma grande obra para quem gosta de Final Fantasy VII, fiquei muito feliz de revisitar Midgar e rever os personagens.

Já estou ansioso pra continuação.
Avatar do usuário

    • + 1

Mensagempor Hirga » Sáb, 02 Mai 2020, 20:39

Como nacionais anteriormente, acabei de zerar o Starlink Battle for Atlas

E assim...achei o final meio fácil. Mesmo assim, o jogo vale super a pena. Tanto que continuarei jogando ele, mesmo tendo zerado.
Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor vits » Sáb, 02 Mai 2020, 21:51

Finalizei Turok 2: Seeds of Evil.

Imagem


Honestamente, não gostei.

Olhando de uma forma objetiva, Turok 2 é tudo que desejamos de uma sequência. Os visuais são melhores, há mais variedade de cenários e inimigos, os mapas são maiores com mais objetivos e agora até temos uma história contada in game. Mas, muitas dessas melhorias acabam indo contra o fluxo do jogo.

Para começar, há ainda menos dinossauros do que no primeiro jogo (que já não tinha tantos assim). Os inimigos agora tem multiplicadores de dano para diversas áreas do corpo, o que é bacana quando você acerta aquele headshot, mas um inferno quando você erra. Algumas das criaturas mais básicas resistem a 4/5 tiros de escopeta a queima roupa antes de caírem e as hitbox são bizarras. Os mapas são grandes e confusos demais, em alguns casos eu passei duas horas procurando pelos segredos e tive que retornar depois com o "item" certo para finalmente poder entrar em uma área secreta, que tinha meia dúzia de inimigos e uma chave.

E pra completar esse jogo me deu náusea. Não sei se foi a velocidade ou se foi o fato do personagem e armas ficaram se mexendo na tela (mesmo desabilitando bobbing), mas eu passei mal jogando. Só terminei porque faltavam apenas dois níveis para o final.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 1

Mensagempor Robert Prado » Dom, 03 Mai 2020, 16:40

Jogando com frequência Final Fantasy VII Remake e Animal Crossing New Horizons. Na verdade, bem mais AC do que FFVIIR lol
AC agora já passou até o tempo total de jogo que tenho no Zeldinha, está como meu jogo mais jogado.
Imagem
Imagem
STEAM

Nintendo 3DS Friend Code: 3454-4180-5860
Nintendo Switch Friend Code: 0371-9094-8528
Street Fighter V ID: john_prado
(quem for adicionar, me manda MP)
Avatar do usuário

    • + 2

Re:

Mensagempor hayt » Dom, 03 Mai 2020, 17:59

vits escreveu:E pra completar esse jogo me deu náusea. Não sei se foi a velocidade ou se foi o fato do personagem e armas ficaram se mexendo na tela (mesmo desabilitando bobbing), mas eu passei mal jogando. Só terminei porque faltavam apenas dois níveis para o final.


Até hoje não consegui jogar alguns FPS antigos por causa disso. Não sei o motivo, mas eles dão muita dor de cabeça.

Estive jogando Crash 2 recentemente. Finalizei o jogo e estou pegando algumas conquistas (não pretendo platinar, apenas pegar algumas coisas no jogo). Enfim, o jogo é muito bom, mas PQP, pense num jogo punitivo. Em várias partes você tem que saber o que vai acontecer por quê se não são muitas mortes. Nunca peguei para zerar o Crash 2 no PS1 (jogava apenas o Crash 1 e o 3). Embora o Crash 1 seja muito mais difícil, ele é BEM menos punitivo.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Re: Re:

Mensagempor vits » Dom, 03 Mai 2020, 18:18

hayt escreveu:
vits escreveu:E pra completar esse jogo me deu náusea. Não sei se foi a velocidade ou se foi o fato do personagem e armas ficaram se mexendo na tela (mesmo desabilitando bobbing), mas eu passei mal jogando. Só terminei porque faltavam apenas dois níveis para o final.


Até hoje não consegui jogar alguns FPS antigos por causa disso. Não sei o motivo, mas eles dão muita dor de cabeça.


Além de Turok 2, os únicos FPS que me deixaram nauseado foram o remake de Shadow Warrior e a sua sequência. Mas, esses dois eram bem piores. Acho que eu não conseguia jogar nem 10 minutos sem passar mal.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Re: Re:

Mensagempor hayt » Seg, 04 Mai 2020, 00:38

vits escreveu:
hayt escreveu:
vits escreveu:E pra completar esse jogo me deu náusea. Não sei se foi a velocidade ou se foi o fato do personagem e armas ficaram se mexendo na tela (mesmo desabilitando bobbing), mas eu passei mal jogando. Só terminei porque faltavam apenas dois níveis para o final.


Até hoje não consegui jogar alguns FPS antigos por causa disso. Não sei o motivo, mas eles dão muita dor de cabeça.


Além de Turok 2, os únicos FPS que me deixaram nauseado foram o remake de Shadow Warrior e a sua sequência. Mas, esses dois eram bem piores. Acho que eu não conseguia jogar nem 10 minutos sem passar mal.


O pior que isso era uma reclamação muito comum mesmo na época. Conheço algumas pessoas que não jogavam FPS justamente por conta disso. Meu irmão mesmo, tinha náuseas até jogando Half-Life (que é muito mais tranquilo).

Na real eu não zero Half-Life mais vezes apenas me lembrando que sei que vou ter dor de cabeça quando estou jogando. Agora o mais estranho é que CS 1.6 nunca me deu náuseas, mesmo sendo a mesma engine. Vá entender.

Creio que a velocidade muito alta do jogo e o balançar da câmera (bobbing) é que ocasionam isso. O bobbing da arma creio que não é tanto problema, pois me lembro que o CS 1.6 tinha um bobbing da arma muito alto e não dava náuseas.

Pelo que tinha lido, isso é um problema chamado de cinetose. Acho que muitos tem esse problema. Me falaram que aumentando o FOV do jogo isso melhora. Tirar o blur também melhora. Tanto é que é as primeiras coisas que busco nas opções dos jogos.

Inclusive outra coisa que me dá MUITA náuseas é jogar FPS no mouse com taxa de quadros abaixo de 60.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Re: Re:

Mensagempor Crash10 » Seg, 04 Mai 2020, 02:52

hayt escreveu:Estive jogando Crash 2 recentemente. Finalizei o jogo e estou pegando algumas conquistas (não pretendo platinar, apenas pegar algumas coisas no jogo). Enfim, o jogo é muito bom, mas PQP, pense num jogo punitivo. Em várias partes você tem que saber o que vai acontecer por quê se não são muitas mortes. Nunca peguei para zerar o Crash 2 no PS1 (jogava apenas o Crash 1 e o 3). Embora o Crash 1 seja muito mais difícil, ele é BEM menos punitivo.


Jogou pelo remake? A engine do N. Sane é conhecida por ser um pouco inconsistente (pulos que deveriam funcionar ás vezes não são suficientes), então nem dá pra se culpar totalmente.
Imagem
Por Pedrock

Userbars

Avatar do usuário

    • + 0

Re: Re:

Mensagempor vits » Seg, 04 Mai 2020, 10:06

hayt escreveu:
vits escreveu:
hayt escreveu:
vits escreveu:E pra completar esse jogo me deu náusea. Não sei se foi a velocidade ou se foi o fato do personagem e armas ficaram se mexendo na tela (mesmo desabilitando bobbing), mas eu passei mal jogando. Só terminei porque faltavam apenas dois níveis para o final.


Até hoje não consegui jogar alguns FPS antigos por causa disso. Não sei o motivo, mas eles dão muita dor de cabeça.


Além de Turok 2, os únicos FPS que me deixaram nauseado foram o remake de Shadow Warrior e a sua sequência. Mas, esses dois eram bem piores. Acho que eu não conseguia jogar nem 10 minutos sem passar mal.


O pior que isso era uma reclamação muito comum mesmo na época. Conheço algumas pessoas que não jogavam FPS justamente por conta disso. Meu irmão mesmo, tinha náuseas até jogando Half-Life (que é muito mais tranquilo).

Na real eu não zero Half-Life mais vezes apenas me lembrando que sei que vou ter dor de cabeça quando estou jogando. Agora o mais estranho é que CS 1.6 nunca me deu náuseas, mesmo sendo a mesma engine. Vá entender.

Creio que a velocidade muito alta do jogo e o balançar da câmera (bobbing) é que ocasionam isso. O bobbing da arma creio que não é tanto problema, pois me lembro que o CS 1.6 tinha um bobbing da arma muito alto e não dava náuseas.

Pelo que tinha lido, isso é um problema chamado de cinetose. Acho que muitos tem esse problema. Me falaram que aumentando o FOV do jogo isso melhora. Tirar o blur também melhora. Tanto é que é as primeiras coisas que busco nas opções dos jogos.

Inclusive outra coisa que me dá MUITA náuseas é jogar FPS no mouse com taxa de quadros abaixo de 60.


Interessante, não sabia que tinha um nome. Quanto a aumentar o FOV, vou tentar da próxima vez que encontrar um jogo que me dê náusea. Mas, no caso de Turok 2, acredito que seja o bobbing da arma mesmo, porque é o único que mesmo desligado nas opções, continua acontecendo na tela. E eu já joguei muitos títulos ridiculamente mais rápidos do que ele.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Re: Re:

Mensagempor hayt » Seg, 04 Mai 2020, 13:49

Crash10 escreveu:Jogou pelo remake? A engine do N. Sane é conhecida por ser um pouco inconsistente (pulos que deveriam funcionar ás vezes não são suficientes), então nem dá pra se culpar totalmente.


Sim. Também tive essa mesma impressão. Não tinha jogado especificamente o Crash 2 no PS1 (foi o único que não joguei), mas joguei o Crash 3 Remake e estranhei muito. Tive a impressão que o hitbox do boneco é bem maior e que os pulos são estranhos (não sei exatamente o quê, mas não eram iguais). Além disso o ataque do Crash parece ser menor.

Tinha visto que estavam querendo fazer o remake do Wrath of Cortex. Tomara, pois é um dos Crash clássicos que mais gosto (sei que meu gosto é bem duvidoso kkkkk).
Imagem
Avatar do usuário

    • + 2

Mensagempor Nightwalker » Qua, 06 Mai 2020, 22:56

Fechei Tales of Vesperia Definitive Edition.

Imagem


Wow, jogo foi bem maior do que eu originalmente esperava, levei basicamente 50 horas, mesmo não explorando tanto assim os lugares e dando run de algumas batalhas (mas fiz coisas extras como todos os skits que apareceram). Curti o jogo, em geral. Fazendo uns highlights então.

Gostei:

Gostei do Yuri, dentre outros motivos principalmente porque ele é do tipo de personagem que “gets shit done”. Gosto de personagens que estão dispostos a sujar as mãos se necessário, o que infelizmente não é tão comum assim em JRPG´s, onde uma boa fração são de personagens inocentes demais.

Skits é uma idéia bem legal, ter esses vários momentos da party conversando sobre assuntos diversos, e em cima disso algo impressionante é que todos são dublados (junto a toda dublagem da já massiva quantidade de cutscenes). Vi que isso é coisa do definitive edition apenas. De toda forma, fiquei impressionado, é muita coisa dublada, e bem, eu sei que dependendo de quem são o dubladores, isso sai caro, deve ter sido uma fortuna dublar isso tudo, mas ajuda bem em caracterizar e dar personalidades aos personagens (mas fica o questionamento se esse dinheiro não seria melhor gasto se usado em outros aspectos...). Os quadrinhos durante os skits eram muito legais também e me fizeram rir mais de uma vez, era algo simples mas muito bem vindo.

Dungeons tem um pouco de puzzles (dinâmicos), bem melhor do que ser um dungeon crawler simplório.

Curti o sistema de skills, vem das armas equipadas e se usar bastante essa arma o skill fica fixo no personagem, isso dava um valor muito grande para praticamente todas as armas.

O jogo é bem bonito no geral (ter a câmera fixa a maior parte do jogo fica fácil de fazer isso também né, hehe), e muitas das cutscenes (que são várias) são bem animadas, mesmo mundanas como um dialogo da party ao chegar numa cidade, o no quarto de um inn e etc.

Eventualmente da pra fazer uns combos legais.

Mundo bem vasto e interessante dentre do limite que mundo “top view” podem ser.

Não gostei tanto assim:

Okay, as batalhas ficaram mais interessantes conforme o jogo avançava porque primeiro, ele claramente foi desenvolvido pensando numa party completa e segundo porque ganhamos várias artes e possibilidades de combo. Mas mesmo assim alguns das coisas que eu achei estranho persistiram. Esse esquema de movimento pseudo-2D num campo 3D, embora funcione a maior parte do tempo, as vezes é bem errrrr, cluncky, (ainda estavam tentando achar um meio termo entre o estilo clássico e um jogo da era 3D), com situações onde um inimigo “fora do seu eixo 2D” pode te bater sem você poder devolver, e as vezes (principalmente no modo manual) você acabar saindo um pouco do eixo 2D do inimigo que você esta na mira, e por causa disso ficar batendo no vento um pouco. Ter que segurar um botão para andar livremente é no mínimo peculiar, diria mais ou menos a mesma coisa de ter que segurar block para poder pular no modo semi-auto. Animações tem muito delay, block não cancela animação. A mecânica que existe para cancelar animação de ataque básico é acessível apenas no modo manual de batalha, contudo, o modo manual tem peculiariedades como, se levar o analógico pra frente um pouco, o char anda (até ai, okay), ai naturalmente você espera, é só empurar mais o analógico que o char vai correr certo? Errado, tem que largar o analógico e parar de se mexer, e ai mexer o analógico de novo agora com mais intensidade para que ai sim o char corra. Ou então, quer pular para frente, só jogar o analógico para a diagonal certo? Errado, tem que correr um pouco pra pegar momentum, pra ai sim pular. Outra coisa que me irritou (não sei se tem um jeito de fazer isso e a culpa era minha), não tem como cancelar ataques com o comando de finishing strike. Isso era chato porque se você sabe fazer um combo muito grande, as vezes o comando de finishing strike aparece no meio do combo, mas você não pode usar porque esta no meio de uma animação de ataque. Visto que é um jogo de uma franquia que foca tanto em combos enormes, achei essa situação muito estranha, era como se estivesse sendo penalizado por fazer a marca registrada da franquia (combar muito).

Não gostei muito da razão custscene-dialogo vs gameplay, o jogo acabou inclinando mais do que eu gosto para o primeiro termo. Alguns skits eram redundantes também, vinham exatamente após algum ponto da história, dizendo praticamente a mesma coisa.

Em alguns momentos o jogo forçou a barra pra ser mais grande, mesmo eu que sou bem tranqüilo com isso notei um pouco.

Pelo menos mais alguns QoL mais básicos deveriam existir, tipo mapa com marcador, fast travel funcional e que permita sair no meio de dungeons, etc.

É isso. Quando eu for jogar um Tales de novo irei provavelmente ou de Symphonia (recomendação) ou de Grace F (tinha pesquisado e achado muitos elogios ao sistema de batalha desse).
Imagem


Nintendo switch friend code

SW-2951-0500-7235
Avatar do usuário

AnteriorPróximo

Voltar para Outros Consoles

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 7 visitantes

cron