Biografia Blast: Shigeru Miyamoto

A empresa, seus consoles, franquias e personagens.
Índice do fórum Videogames Nintendo
    • + 9

Biografia Blast: Shigeru Miyamoto

Mensagempor Marcio Mew » Seg, 02 Jul 2018, 13:11

Imagem


Olá, sejam bem-vindos a mais um Biografia Blast. Essa serie de tópicos que terá a biografia de alguma pessoa conhecida no nosso universo Nintendo (Ou de outras empresas quem sabe no futuro), no tópico de hoje veremos o pai de imueras franquias que fizeram parte de nossas infâncias e ainda hoje fazem de nossas vidas, Shigeru Miyamoto, o criador de franquias como Mario, The Legend of Zelda, Star Fox, Pikmin entre outros.

Se você não viu o Biografia Blast anterior com Reggie Fils-aime, confira clicando aqui

Shigeru Miyamoto escreveu:Eu acredito que dentro de cada adulto tem um coração de uma criança. Nós apenas nos convencemos de que devemos agir mais como adultos.


Infância e juventude

Imagem

Miyamoto nasceu no dia 16 de novembro de 1952, ele é o segundo filho de Iijake Miyamoto e Hinako Aruha e nasceu na cidade de Sonobe (Hoje chamada de Nantan), uma pequena cidadezinha rural ao noroeste de Kyoto, por ser uma cidade pequena Miyamoto cresceu junto a natureza e brincava de explorar locais novos, que segundo ele, surgiu de inspiração para muitos dos seus jogos especialmente The Legend of Zelda, além de fazer expedições ele também gostava de desenhar e pintar. A Familia de Miyamoto era pobre e por isso não tinha dinheiro para ter uma televisão, porém Miyamoto de vez em quando ia com seus país a Kyoto onde iam assistir filmes da Disney. Algum tempo depois a família de Miyamoto consegue uma televisão e a partir dai Miyamoto começa a se apaixonar por animes e mais tarde no ensino médio ele conhece os mangás onde sua paixão por desenhos cresceu fortemente a ponto de Miyamoto se juntar ao clube de mangá da sua escola.

Inclusive, como Miyamoto tinha uma paixão por mangás, ele tinha como objetivo virar um mangaka e viver disso, ele também tentou arranjar um emprego de animador para trabalhar com animes também. Os anos passam e a família de Miyamoto deixa Sonobe onde viviam por 3 gerações para morar em Kyoto em busca de melhores oportunidades. No ano de 1970, com 18 anos de idade, ele ingressou na Faculdade de Artes Industriais de Kanazawa onde se formou 5 anos depois em design industrial. Segundo Miyamoto ele não era um bom aluno além de ter muitas faltas, nesse período ele começou também a se interessar por musica, tanto que formou uma pequena banda que até chegou a se apresentar em alguns locais do Japão.

Contratação pela Nintendo


Em 1977, Miyamoto participou de uma entrevista de emprego na Nintendo, na época uma fabricante de brinquedos ainda, Miyamoto conseguiu essa entrevista devido ao fato de seu pai, Iijake Miyamoto, ser amigo de Hiroshi Yamauchi, presidente da Nintendo na época. Na entrevista Miyamoto surpreendeu apresentando alguns produtos infantis simples, entre eles estavam uma gangorra com 3 lugares e cabides de roupa com desenhos, Miyamoto foi contratado e passou a trabalhar desenvolvendo produtos para a Nintendo, Miyamoto ficou muito feliz com o trabalho, pois segundo ele - como a Nintendo estava começando a querer inventar novos produtos ele tinha liberdade criativa total.

Miyamoto então começa a trabalhar em seu primeiro projeto, a Nintendo já estava na época trabalhando com o Color TV Game, um console Pong que teve inúmeras variações (Por sinal, ao contrario do que muita gente pensa, o primeiro console da Nintendo não foi o NES mas sim o Color TV Game). Miyamoto ficou responsável pelo design da versão Racing, onde inseriu um volante ao console já que Miyamoto não tinha gostado muito do visual do aparelho. Mais tarde, como Space Invaders era uma febre no Japão a Nintendo resolveu entrar no mercado com um titulo similar, Space Fever, Miyamoto ficou então encarregado dos desenhos dos personagens no projeto. Após isso ele também ficou encarregado no trabalho de desenhar em mais dois jogos futuros Sheriff e Radar Scope, sendo esse ultimo pensado no publico americano, já que a Nintendo of America acabara de ser aberta.

Mario e Donkey Kong

Imagem

Radar Scope enfim chega a America, depois de meses de atraso, porém ao chegar ele já se encontrava ultrapassado, a Nintendo não conseguiu vender muitas unidades do jogo e o futuro da Nintendo of America era nebuloso, eis que então o presidente da Nintendo of America na época (Minoru Arakawa) pede a Yamauchi que alguém desenvolva um jogo que possa ser colocado nas maquinas de Radar Scope, Yamauchi nega de inicio já que todos estavam com outros projetos em andamento e no fim acabou sobrando para um funcionário que nunca tinha feito um jogo por conta própria, o próprio Miyamoto, que sobre a ajuda de seu senpai Gunpei Yokoi que lhe ensinou muitas das coisas que ele precisava aprender sobre video games. Miyamoto fica responsável por um jogo do Popeye já que o próprio Miyamoto tinha interesse em desenvolver um jogo do Popeye, porém tinha um problema, a Nintendo não conseguiu os direitos para poder desenvolver e logo Miyamoto teve de recorrer a criar seus próprios personagens.

Com isso, chega ao mundo os personagens que conhecemos e adoramos até hoje, especialmente o que viria a ser não apenas o mascote da Nintendo mas podendo considera-lo mascote dos games como um todo, Jumpman ou como conhecemos hoje Mario. O jogo em questão leva o nome de outro personagem querido da Nintendo, Donkey Kong. O Jogo em questão nada mais era que um triangulo amoroso no estilo ao que acontecia em Popeye.

Assim, o jogo foi criado. Donkey Kong está entre os primeiros títulos a ter múltiplos estágios e a apresentar algumas cenas elaboradas em seu tempo. Miyamoto compôs a trilha sonora e quando tudo estava pronto Yamauchi sabia que o que ele tinha feito seria um sucesso, então ele enviou para a América. Na chegada, os poucos funcionários da Nintendo odiaram o jogo e acharam que isso seria a desgraça da empresa. Yamauchi os convenceu a substituir o novo jogo em 2 maquinas do Radar Scope e distribuir essas duas maquinas em dois bares em Seattle. Em poucos dias, a Nintendo descobriu que cada unidade continha centenas de dólares. E Agora era hora de distribuir mais, assim todos os funcionários da Nintendo, que consistiam em mais de cinco mil pessoas participaram. Arakawa também contou com a ajuda de sua esposa. O Jogo foi um sucesso e a Nintendo of America foi forçada a pedir milhares de unidades a mais do Japão, embora a empresa não pudesse acompanhar a demanda. O primeiro trabalho de Shigeru Miyamoto como designer de games provou ser um dos empreendimentos de maior sucesso da Nintendo em quase cem anos. Esse sucesso garantiu sequencias a esse jogo, como por exemplo Donkey Kong Jr.

Após o sucesso da série, Miyamoto concentrou-se mais em Mario, criando assim um jogo arcade intitulado Mario Bros., que introduziria o irmão gêmeo de Mario, Luigi. Um funcionário da Nintendo of America notou que Mario parecia muito  um encanador, então Miyamoto mudou sua ocupação de acordo e colocou o novo jogo se passando nos esgotos do Brooklyn. O jogo era como Donkey Kong e Donkey Kong Jr; um jogo de plataformas, porém multiplayer. Os jogadores coletariam moedas, impedindo diferentes tipos de inimigos. Cada jogador que estava jogando o modo multiplayer tinha o objetivo comum de adquirir mais moedas. Tal como Donkey Kong, este jogo alcançou sucesso instantâneo e levou Yamauchi a atribuir Miyamoto a uma nova posição, onde controlaria uma divisão de jogos que acabaria por se tornar no mais importante desenvolvedor de videogames do mundo. A divisão foi criada para que a Nintendo fizesse jogos especificamente para o recém lançado Famicom, lançada um ano antes.

A Chegada nos consoles


O primeiro jogo em que Miyamoto trabalhou para o Famicom em 1984 foi Devil World, um jogo do tipo Pac-Man que não foi lançado em nenhum outro lugar devido aos seus temas bíblicos sensíveis. Depois disso, ele atuou como designer em Excitebike e em Ice Climber. Houve um jogo em particular que provaria ser um dos jogos mais bem sucedidos e importantes de todos os tempos. No Japão, a indústria de jogos poderia ser considerada forte, mas o mesmo fenômeno não era o caso na América. O império Atari caiu e os videogames não eram mais populares. Lojas de fliperama de todo o país fecharam e os fabricantes de consoles param de fabricar hardware. Então foi um choque quando os varejistas disseram que a Nintendo estava tentando entrar no mercado mais uma vez. Eles alegaram que o que tinham não era apenas um videogame, mas um sistema de entretenimento, e disseram que a inclusão do R.O.B, um robô que interagia com alguns jogos, fazia dele mais um brinquedo do que qualquer coisa, isso convenceu os varejistas a comprar o que logo seria conhecido nos Estados Unidos como o Nintendo Entertainment System, porém não foi o R.O.B que os convenceram mas sim um jogo chamado Super Mario Bros. Estrelando o encanador de Donkey Kong e Mario Bros., este novo título era um jogo de plataformas que continha mais de trinta etapas que era muito mais do que tinha em Donkey Kong, com inimigos variados e um chefe chamado Bowser, que viria a se tornar um dos antagonistas mais conhecidos dos games.

Super Mario Bros tornou-se tão popular que conseguiu entrar nas casas de 40 milhões de pessoas em todo o mundo, e fez Miyamoto um nome familiar para muitas pessoas que estão cientes da cultura pop moderna. Logo após Super Mario Bros, Miyamoto dirigiu a sequência, Super Mario Bros 2, conhecida como Super Mario Bros: The Lost Levels em países ocidentais. O jogo nunca foi lançado nos Estados Unidos ou na Europa até o lançamento de Super Mario All-Stars anos depois. No entanto, após o extraordinário sucesso de Super Mario Bros, Miyamoto iria novamente dominar o mundo novamente lançando um novo título lendário sobre um jovem herói e uma princesa em perigo. O Jogo chamado de The Legend of Zelda foi lançado para o Famicom Disk System no Japão e normalmente pelo NES no ocidente. O jogo foi inspirado em eventos da infância de Miyamoto. Por exemplo, Miyamoto disse que achava agradável viajar por uma cidade desconhecida sem o uso de um mapa. Dessa forma, a pessoa não saberia o que encontrar em cada esquina. Ele também encontrou uma caverna perto de sua casa quando criança, o que também influenciou o jogo. Encontrar coisas novas, como a caverna mencionada acima e um lago ao caminhar, trouxe alegria a Miyamoto, que seria incorporado ao seu jogo. Ele preencheu mais papéis neste jogo do que qualquer outro que já trabalhou, incluindo diretor, produtor e designer. O jogo acabaria sendo o primeiro jogo autônomo a vender mais de um milhão de unidades.

Em 1990, a Nintendo lançou o Super Famicom e contou com a ajuda de Miyamoto e sua equipe para fazer nove jogos que poderiam ser lançados com o console, então com mais de 95 pessoas a bordo, eles trabalharam incansavelmente em três jogos, um dos quais seria um bundle com o console como foi Super Mario Bros para o NES. Naturalmente, esse jogo seria o novo título de Mario, chamado Super Mario World.

Super Mario World não foi dirigido por Miyamoto como os jogos anteriores de Mario, mas sim pelo veterano da série Takashi Tezuka, que desempenhava um papel no desenvolvimento da série desde de Super Mario Bros. Miyamoto desempenhou apenas o papel de produtor. 16 pessoas trabalharam no Super Mario World e é talvez o mais notável por apresentar o personagem Yoshi, um personagem que Miyamoto queria incluir em algum jogo Mario anterior, mas não podia devido a limitações técnicas. Miyamoto disse: "Queríamos que Mario montasse um dinossauro desde que terminamos o Super Mario Bros original, mas era tecnicamente impossível na época. Finalmente conseguimos tirar Yoshi do papel com o Super NES".

A Era 3D

Imagem

Miyamoto não havia dirigido um jogo desde Super Mario Bros 3 no NES. No entanto, com o novo console, Miyamoto se tornou o diretor do jogo mais importante que seria lançado no console, o novo jogo do Mario. Intitulado Super Mario 64, Miyamoto vinha desenvolvendo conceitos para o jogo em anos, mas não chegou a escrever especificações até um tempo antes do jogo ser lançado. Miyamoto trabalhou com polígonos em Star Fox e queria fazer um título similar antes que o Super Famicom se tornasse obsoleto. De acordo com Miyamoto, levou cerca de cinco a seis anos no total para completar o jogo desde a sua concepção inicial.

Após o lançamento, o jogo vendeu milhões e milhões de cópias em todo o mundo e até hoje é considerado um dos, se não o mais importante título de videogame de todos os tempos.

E neste mesmo console ele lançaria o que até hoje é considerado o maior jogo de todos os tempos de acordo com o Metacritic e a Gamerankings. O jogo chamado The Legend of Zelda: Ocarina of Time que revolucionou os videogames. Ocarina of Time foi originalmente conhecido como Zelda 64, e foi um dos primeiros jogos com uma estrutura de desenvolvimento que continha diretores para muitos segmentos. Miyamoto foi o produtor deste jogo. Ao todo, havia cerca de quatro co-diretores, e cada um deles tinha suas próprias responsabilidades. Miyamoto mudou vários aspectos do jogo. Algumas fontes dizem que ele estava tão envolvido que ele estava perto de ser um diretor ou pelo menos a pessoa que mantinha todos em ordem. Miyamoto surgiu com a ideia do cavalo, que se tornou a imagem mais encantadora do jogo. Até hoje, Ocarina of Time continua sendo o jogo de maior sucesso da série e o mais aclamado pela crítica.

O Gamecube e o Game Boy Advance lançaram e Miyamoto realizou também importantes projetos como Super Mario Sunshine e a criação de uma nova IP, Pikmin, que ganhou uma sequencia para o mesmo console, logo após veio o Wii e DS onde novamente Miyamoto lança grandes masterpieces como Super Mario Galaxy. Já no Wii U e 3DS ele foi responsável por "alimentar" o console enquanto os mesmos estavam com dificuldade com jogos como Super Mario 3D Land, Pikmin 3 e Super Mario 3D World

Vida Pessoal

Imagem

Atualmente Miyamoto é casado com Yasuko Miyamoto, ele conheceu sua esposa pelo seu trabalho com games, já que ela trabalhava com a parte sonora, ele tem 1 filho e 1 filha, seu filho se chama Kenshi Miyamoto e sua filha não se sabe o nome. Durante seus tempo livre ele gosta de tocar instrumentos musicais, especialmente Banjo, Violão e Bandolim, além de cuidar de seus cachorros, animal preferido de Miyamoto que também serviu de inspiração para a criação de Nintendogs.

Imagem

SPOILER

Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor Crash10 » Seg, 02 Jul 2018, 13:30

Miyamoto fez muita coisa boa mas deixem ele longe de Paper Mario, por favor. Acho que ele funciona melhor atualmente dando assistência na produção dos jogos do quê realmente dirigindo eles, o vício em inovação dele pode atrapalhar alguns jogos, como Star Fox Zero. Mas ainda quero ver como vai sair Pikmin 4, imagino ser um dos últimos jogos dele antes da aposentadoria.
Imagem
Por Marcio Mew

Userbars

Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor Prinny » Ter, 03 Jul 2018, 13:44

Eu admiro muito o Miyamoto por tudo que ele fez na indústria dos jogos. O cara realmente teve ideias genias. Ele realmente tem ótimos momentos,todas as franquias que vieram dele são fantásticas. Mas ele também tem momentos bem ruins -q (oi Star Fox Zero)
Acho que...ele meio que já pode se aposentar -q A própria Nintendo tem pessoas tão geniais quanto ele lá (de você mesmo que estou falando yoshiaki koizumi) então eu acho que ele já fez o que podia fazer pra indústria dos jogos.
Imagem
Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor Pedrock » Ter, 03 Jul 2018, 14:08

Também gosto bastante do Miyamoto, apesar da grande teimosia dele com o fator história nos jogos, principalmente em Mario. Grande parte das coisas que ele fez no passado virava ouro, a quantidade de jogos que ele dirigiu e que recebeu critical acclaim não é pra qualquer um. Mas recentemente parece não ter acompanhado o resto da Nintendo, e junto com seu amor por algumas gimmicks e "inovação" saíram algumas coisas como Star Fox Zero -q, nem conto os Paper Mario recentes pois não imagino que ele seja tão culpado como outros dizem. Olho mais feio pro Kensuke Tanabe do que pro Miyamoto nessa controvérsia com Paper Mario.

Mas como o Prinny disse, espero que conforme Miyamoto vá se afastando cada vez mais, que o Yoshiaki Koizumi tenha cada vez mais espaço, vendo que apesar de serem bem semelhantes, também são extremos opostos quando se trata de storytelling.
Imagem

Userbars

Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor fabuzato » Qua, 04 Jul 2018, 23:08

Ah como esse japa fez bem em desistir de ser mangaka pra fazer jogo; imagina se as franquias que ele criou fossem tudo manga, já teria tudo sido cancelado pois o que Miyamoto traz de inovação em gameplay ele traz histórias clichês de superação do mocinho.
Avatar do usuário

    • + 0

Mensagempor blordello » Sáb, 07 Jul 2018, 18:46

O cara é pica. Chega a ser um de meus ídolos, pena que é muito improvável que um dia eu venha a conhecê-lo. Espero que continue por muitos anos ainda nos presenteando com seu dom de fazer joguinhos, igual a ele ninguém faz.

Queria aproveitar pra postar aqui essa música feita em homenagem a ele:

MyAnimeList: https://myanimelist.net/animelist/blor

Me julguem à vontade. Fiz recentemente e deve estar faltando muita coisa, uma pena. :doge:
Avatar do usuário


Voltar para Nintendo

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 5 visitantes